terça-feira, novembro 28, 2006

Eu tenho que ir, baby

Ele disse
"Baby, não dá mais pra nós dois, nossa história de amor chegou ao fim
Foi bom até aqui, mas nossa caminhada acabou
Baby, eu ainda gosto de você, mas não daquela maneira
Da maneira que gostava quando tudo começou
Ah, baby, me perdoa, não quero te ver sofrer, não quero te ver chorar
Eu daria a minha vida se pudesse, só pra não te magoar
Baby, vê? Eu também estou sofrendo... Sofro por ter que te deixar assim
Mas, baby, não posso mentir pra você
Não posso fingir pra você
Eu não quero mentir pra você
Baby, não fica assim
Você vai conseguir
Alguém bem melhor pra cuidar de ti
Pra enxugar tuas lágrimas
E te dar tanto amor
Quanto eu te dei
Baby, me perdoe mais uma vez,
Mas eu tenho que ir
Ela me espera e eu não posso demorar
Baby, veja só, a vida é assim,
Você não se lembra, mas você a trouxe até mim
Baby, a outra, é ela.
É ela, baby,
Que você trouxe pra mim."
E ela chorou.

* Só um exercício de escrita bobo e muito ruim, que algum dia pode virar algo sério e razoavelmente bom

3 Comentários:

Às 10:02 AM , Blogger 3 Vozes disse...

Achei cruel, cru, poético, real... curti muito

Dudu

 
Às 5:04 PM , Anonymous Mahh disse...

Perfeito :)

 
Às 7:38 PM , Anonymous Anônimo disse...

Sim, sim, muito cruel ... mas verdadeiro ... é assim, desse jeitinho, que se dão certos desenlaces. Redondinho!!!

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial