terça-feira, outubro 04, 2005

O último - Considerações depois da agonia (ou Prelúdio de retalhos de memória)

Só ouvindo uma história que de tão real chega a parecer inventada, é que pude finalmente perceber a gravidade do que você fez comigo.
Relembrando: você quis terminar nossa relação. Até aí tudo bem. Meses mais tarde quis voltar, desistindo logo depois. Mais alguns blocos de trinta dias e novamente você ao telefone propondo uma conversa.
Esquecido das lágrimas que havia derramado há pouco tempo por você, aceitei te encontrar num fim de semana qualquer. Voltamos, afinal.
Depois de algum tempo juntos, achei que era hora de conhecer os verdadeiros motivos de: você terminar comigo de uma hora para outra e de depois você ligar afim de uma reconciliação para sumir logo em seguida, sem dar explicações.
O motivo fora apenas um, em ambas ocasiões: ele.
Não me importei na época, pois você disse que me amava. Vejo agora que tuas palavras todas foram sempre mentiras.
No sofrimento que vejo nos olhos de meu irmão, nas palavras graves que ele profere e que eu também gostaria de fazê-las explodir, enxergo a mim e a ti.
Você, vil. Eu, idiota. Nunca consegui ter por você qualquer tipo de sentimento repulsivo. Nunca. Até hoje.


Rafael Rodrigues

4 Comentários:

Às 11:48 PM , Anonymous ana rüsche disse...

Hi, Dear!

Passei para dar um oizinho e ver como estão as coisas. Vejo que bem! beijinhos e boa noite

 
Às 12:11 AM , Anonymous Thiago disse...

Nossa... Tão real, viu... Parece um desabafo... Muito maneiro o texto... Abraços Rafael e boa quarta-feira procê...

 
Às 8:19 PM , Anonymous Ivan disse...

Há uma sugestão seguida de um convite no meu blog. Vá lá e confira. Depois, se quiser, me envie um e-mail: ivanjdlf@gmail.com

 
Às 3:58 AM , Anonymous Dodo disse...

cara ... como o Thiago disse parece um desabafo... ta muito massa!!! abraços!!!

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial